FANDOM


Audaciosamente indo
Continues 10
Série Star Trek: Phase II
Número 18 e 19
Título original To Boldly Go
Data de lançamento 18 de outubro do 2017 (Parte I)
13 de novembro do 2017 (Parte II)
Episódios
anterior
O destino das naves
seguinte
A peneira de mentes

Audaciosamente indo é o episódio 18 e 19 da série fanon Star Trek: Phase II. Está dividido em duas partes. A primeira parte estreou-se em 18 de outubro do 2017 e a segunda parte estreou-se em 13 de novembro do 2017.

Argumento Editar

Data estelar 6988.4. Para resolver o seu último enigma, a Enterprise tem de regressar a onde começou a missão de cinco anos do capitão James T. Kirk. A Enterprise encontrar-se-á no meio dum conflito entre os romulanos e uns humanos que obtiveram super-poderes, e Kirk terá de saber quem diz a verdade, já que não tudo é como parece…

Resumo detalhado Editar

Parte 1 Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

Data estelar 6892.3. O episódio começa na habitação do Spock, onde ele está a meditar com a doutora Elise McKennah. Enquanto isso, na habitação do Kirk, a contra-almirante andoriana Thesp ordena ao Kirk ir ao sistema Aldebarano para ir para uma base secreta e enfrentar-se contra uns romulanos

A Enterprise chega a Aldebarano III, mas a base deste planeta foi destruída. O Kirk, o Spock e um oficial de segurança vão ao planeta para pesquisarem, e ali ataca-os um drone. Destroem o drone, e uma mulher chamada Lana vem dizer que o drone os atacou porque achava que o Spock era romulano. A Lana revela que cruzou a barreira ao final da galáxia e tem superpoderes, como aconteceu há 5 anos na primeira missão da Enterprise. Mas ela segue um movimento espiritual vulcaniano de paz, portanto é pacífica e não tem ânsias de poder. A Lana explica que uns romulanos os atacaram e sequestraram todos os demais científicos do projecto, e os romulanos querem usar os humanos com superpoderes para atacarem o Prætor. Ela fingiu que estava morta e pôde escapar. O Kirk oferece à Lana vir com eles à Enterprise, mas o Spock diz que se tem superpoderes, poderia ser um problema. O Kirk diz que se os romulanos têm humanos com superpoderes, ele quer ter também um deles. O Spock diz que antes tinha detectado que há uma segunda forma de vida, que resulta ser um romulano que ameaça com atacar o Kirk. A Lana usa os seus poderes para tirar-lhe a arma, e o Kirk luta contra o romulano até que o Spock o deixa inconsciente. Mas a arma do romulano sobrecarregar-se-á, e o Kirk ordena que transportem a equipa de saída, a Lana e o romulano à Enterprise. A arma explode…

Na Enterprise, o Hikaru Sulu detectou os romulanos, e persegui-los-ão. Enquanto isso, o Kirk está a falar com a Thesp e diz-lhe que os romulanos são muito rápidos e não os podem alcançar. A Thesp ordena ao Kirk entrar na Zona Neutra Romulana e se for preciso chegar até a Rómulo para recuperar os humanos sequestrados. O Spock, sem dizer nada ao Kirk, ordena à Uhura contactar com uma nave romulana específica. Na enfermaria, o Leonard McCoy está a examinar a Lana. Ela explica ao Kirk que o romulano que os atacou poderia ser um espião do Prætor. Quando entram na Zona Neutra Romulana, a nave com a que o Spock contactou aparece, e o seu comandante é a Charvanek, a romulana que apareceu no episódio “The Enterprise Incident” da terceira temporada da série original. Ela diz que o Spock falou com ela, mas o Kirk não sabe nada. O Kirk fala com o Spock em privado e zanga-se, mas o Spock diz que ela os pode ajudar na sua missão. O Kirk aceita, e transportam a Charvanek a bordo. Na Enterprise, o Spock fala com a Charvanek e ela diz que o pai do Spock, o Sarek, ajudou a que ela voltasse para Rómulo e em troca o Prætor soltou os telarídeos que tinham detido. O Kirk diz à Charvanek que têm um comandante romulano que lhes pode dar informação, mas quando a Charvanek o vê, ela diz ao Kirk que ele não é romulano. De repente o romulano detento é teletransportado, porque na Sala do Teletransporte tinham recebido a ordem de teletransportar o romulano, mas o Kirk não deu nenhuma ordem…

Os escudos da Enterprise estão activados, portanto o romulano ainda está na nave. Na Sala de Engenharia, o romulano ataca e liberta um gás. Os oficiais vêm apanhar o romulano, mas o Montgomery Scott diz que não disparem ou tudo explodirá devido ao gás. Lutam corpo a corpo, e o romulano deixa a Charvanek inconsciente. Mas o Scott limpa a sala, e o Kirk pode disparar para deixar o romulano inconsciente. Na enfermaria, o McCoy diz que o romulano não é romulano, senão vulcaniano, e é o marido da Lana. Este vulcaniano tem poderes, e vinho procurar uma colega para ir à barreira da galáxia. Portanto, todo o que disse a Lana é falso. Os oficiais vêm apanhar a Lana, que estava a falar com a doutora McKennah, e ela revela que os enganou. O Kirk ordena que levem a Lana ao calabouço. Quando a Lana entra no calabouço, a nave romulana inimiga desaparece, era uma ilusão. A nave da Charvanek, a IRW Hawk’s Talon, contacta com a Enterprise e o seu primeiro oficial Tal diz que, já que não há nenhuma nave romulana atacante, a Enterprise entrou na Zona Neutra Romulana sem provocação, violaram o tratado e destruí-los-á. O Sulu diz que se o Tal destruir a Enterprise em vez de capturá-la, o Prætor puni-los-á, mas o Tal diz que a Enterprise é tecnologia obsoleta e não lhes interessa, portanto destruí-la-ão. Mas a Lana faz algo para que Tal não possa destruir a Enterprise. A Charvanek vem dizer ao Tal que não destruirão a Enterprise e ajudá-los-ão com a sua missão, já que o Prætor poderia estar em perigo. O Kirk vema agradecer à Lana por ter evitado que o Tal destrua a Enterprise, mas diz que sabem toda a verdade, a Lana e a sua gente roubou a nave que tinha vindo a pesquisar, a SS Halifax, para ir até à barreira. E descobre-se que a Lana e a sua gente fez com que a tripulação da Hook morresse ao perder o suporte vital. A Lana diz que ninguém pode parar os seus irmãos de entrarem na barreira, nem sequer o Kirk…

O Kirk vê que cometeu um erro ao trazer a Lana a bordo, e reúne todos os oficiais que estiveram na Enterprise quando cruzaram a barreira, junto dos outros oficiais superiores. Dizem que a Halifax com a gente da Lana quer ir à barreira, e têm de pará-los. Uma nave, a USS Kongo, ajudá-los-á. A Charvanek diz que têm de destruir os humanos especiais, mas o Kirk diz que são cidadãos da Federação e simplesmente têm de apanhá-los. Mas não chegarão a tempo para alcançar a Halifax, portanto têm de ir mais rápido, e precisam da ajuda dos romulanos. A Charvanek diz que eles têm outro sistema para viajarem mais rápido que a luz, mas o Sulu tem uma ideia para combinar a velocidade dos romulanos com a da Enterprise, e a Charvanek diz que pode ser possível. Com este método, chegam até à barreira, e encontram a Halifax. A Lana escapa do calabouço, mata o chefe de segurança William Drake e o outro oficial que vigiava o calabouço, enquanto o marido da Lana, o Sentek, acorda e deixa o McCoy inconsciente. Na ponte, descobrem que a Halifax está vazia, e que os humanos especiais tomaram o controlo da Kongo. Mas então a Lana e o Sentek vêm dizer ao Kirk que tomarão o controlo da Enterprise ou destruí-la-ão como fizeram com a Hook…

72px-Brasil.svg.png

Data estelar 6892.3. O episódio começa no quarto de Spock, onde ele está meditando com a doutora Elise McKennah. Enquanto isso, no quarto de Kirk, a contra-almirante andoriana Thesp ordena a Kirk ir ao sistema Aldebarano para ir para uma base secreta e se enfrentar contra uns romulanos

A Enterprise chega a Aldebarano III, mas a base desse planeta foi destruída. Kirk, Spock e um oficial de segurança vão para o planeta para pesquisarem, e ali ataca um drone. Destroem o drone, e uma mulher chamada de Lana vem dizer que o drone os atacou porque achava que Spock era romulano. Lana revela que cruzou a barreira ao final da galáxia e possui superpoderes, como aconteceu há 5 anos na primeira missão da Enterprise. Mas ela segue um movimento espiritual vulcaniano de paz, portanto é pacífica e não tem ânsias de poder. Lana explica que uns romulanos os atacaram e sequestraram todos os demais científicos do projeto, e os romulanos querem usar os humanos com superpoderes para atacar o Prætor. Ela fingiu que estava morta e pôde escapar. Kirk oferece a Lana vir com eles à Enterprise, mas Spock diz que se tem superpoderes, poderia ser um problema. Kirk diz que se os romulanos têm humanos com superpoderes, ele quer ter também um deles. Spock diz que antes tinha detectado que há uma segunda forma de vida, que resulta ser um romulano que ameaça com atacar Kirk. Lana usa seus poderes para lhe tirar sua arma, e Kirk luta contra o romulano até Spock o deixar inconsciente. Mas a arma do romulano se sobrecarregará, e Kirk ordena que transportem a equipe de saída, Lana e o romulano à Enterprise. A arma explode…

Na Enterprise, Hikaru Sulu detectou os romulanos, e os perseguirão. Enquanto isso, Kirk está falando com Thesp e lhe diz que os romulanos são muito rápidos e não consegue alcançá-los. Thesp ordena a Kirk entrar na Zona Neutra Romulana e se for necessário chegar até Rômulo para recuperar os humanos sequestrados. Spock, sem dizer nada a Kirk, ordena a Uhura contatar com uma nave romulana específica. Na enfermaria, Leonard McCoy está examinando Lana. Ela explica a Kirk que o romulano que os atacou poderia ser um espião do Prætor. Quando entram na Zona Neutra Romulana, a nave com a que Spock contatou aparece, e seu comandante é Charvanek, a romulana que apareceu no episódio “The Enterprise Incident” da terceira temporada da a série original. Ela diz que Spock falou com ela, mas Kirk não sabe nada. Kirk fala com Spock em privado e fica irritado, mas Spock diz que ela pode ajudar em sua missão. Kirk aceita, e transportam Charvanek a bordo. Na Enterprise, Spock fala com Charvanek e ela diz que o pai de Spock, Sarek, ajudou ela a voltar para Rômulo e em troca o Prætor soltou os telarídeos que tinham detido. Kirk diz a Charvanek que têm um comandante romulano que pode lhes dar informação, mas quando Charvanek o vê, ela diz a Kirk que ele não é romulano. De repente o romulano detento é teletransportado, porque na Sala do Teletransporte tinham recebido a ordem de teletransportar o romulano, mas Kirk não deu nenhuma ordem…

Os escudos da Enterprise estão ativados, portanto o romulano ainda está na nave. Na Sala de Engenharia, o romulano ataca e liberta um gás. Os oficiais vêm parar o romulano, mas Montgomery Scott diz que não disparem ou tudo explodirá devido ao gás. Lutam corpo a corpo, e o romulano deixa Charvanek inconsciente. Mas Scott limpa a sala, e Kirk consegue disparar para deixar o romulano inconsciente. Na enfermaria, McCoy diz que o romulano não é romulano, senão vulcaniano, e é o marido de Lana. Este vulcaniano tem poderes, e vinho buscar uma colega para ir à barreira da galáxia. Portanto, todo o que disse Lana é falso. Os oficiais vêm arrestar Lana, que estava falando com a doutora McKennah, e ela revela que os enganou. Kirk ordena que levem Lana ao calabouço. Quando Lana entra no calabouço, a nave romulana inimiga desaparece, era uma ilusão. A nave de Charvanek, a IRW Hawk’s Talon, contata com a Enterprise e seu primeiro oficial Tal diz que, já que não há nenhuma nave romulana atacante, a Enterprise entrou na Zona Neutra Romulana sem provocação, violaram o tratado e os destruirá. Sulu diz que se Tal destruir a Enterprise em vez de capturar a nave, o Prætor os punirá, mas Tal diz que a Enterprise é tecnologia obsoleta e não lhes interessa, portanto a destruirão. Mas Lana faz algo para que Tal não possa destruir a Enterprise. Charvanek vem dizer a Tal que não destruirão a Enterprise e os ajudarão com sua missão, pois o Prætor poderia estar em perigo. Kirk vem agradecer a Lana por ter evitado que Tal destrua a Enterprise, mas diz que sabem toda a verdade, Lana e sua gente roubou a nave que tinha vindo pesquisar, a SS Halifax, para ir até a barreira. E é descoberto que Lana e sua gente fez com que a tripulação da Hook morresse ao perder o suporte vital. Lana diz que ninguém consegue parar seus irmãos de entrarem na barreira, nem sequer Kirk…

Kirk vê que cometeu um erro trazendo Lana a bordo, e reúne todos os oficiais que estiveram na Enterprise quando cruzaram a barreira, junto dos outros oficiais superiores. Dizem que a Halifax com a gente de Lana quer ir à barreira, e têm que pará-los. Uma nave, a USS Kongo, os ajudará. Charvanek diz que têm que destruir os humanos especiais, mas Kirk diz que são cidadãos da Federação e simplesmente têm que pegá-los. Mas não chegarão a tempo para alcançar a Halifax, portanto precisam ir mais rápido, e precisam da ajuda dos romulanos. Charvanek diz que eles têm outro sistema para viajarem mais rápido que a luz, mas Sulu tem uma ideia para combinar a velocidade dos romulanos com a da Enterprise, e Charvanek diz que pode ser possível. Com este método, chegam até a barreira, e encontram a Halifax. Lana escapa do calabouço, mata o chefe de segurança William Drake e o outro oficial que vigiava o calabouço, enquanto o marido de Lana, Sentek, desperta e deixa McCoy inconsciente. Na ponte, descobrem que a Halifax está vazia, e que os humanos especiais tomaram o controle da Kongo. Mas então vêm Lana e Sentek dizer a Kirk que tomarão o controle da Enterprise ou a destruirão como fizeram com a Hook…

Parte 2 Editar

72px-Portugu%C3%AAs.svg.png

Data estelar 6995.1. O Kirk e a sua tripulação decidem atacar a Lana para evitarem que ela e o Sentek tomem o comando. Quando parece que a tripulação da Enterprise está a perder, a Barbara Smith obtém poderes e neutraliza o ataque dos elevados, ferindo a Lana. O Sentek e a Lana vão-se à Kongo, e o Kirk ordena a segurança que levem a Smith à enfermaria. O Kirk, o McCoy e o Scott têm uma reunião, e o Kirk pede que lhe dêem respostas. Depois o Kirk diz ao McCoy que não dormiu desde há dois dias, mas tem de continuar acordado. O McCoy criará uma medicina para fazer com que todos estejam atentos. O Kirk diz que morreram muitos oficiais da Enterprise, e não sabe quem mais tem de morrer. A doutora McKennah vai à enfermaria para ver a Smith, mas não sabe se ela poderia ferir alguém. Também diz à Smith que o Spock acha que quando ela tocou um dos humanos que se elevaram, ela também obteve poderes mas não o sabia até que se desencadearam ao estar de novo perto da barreira galáctica. Na sua habitação, o Spock está a estudar a posição da Kongo que não se move, quando a comandante Charvanek vem dizer-lhe que venha com ele e que estejam juntos, e quer a reunificação dos vulcanianos e os romulanos. O Spock acha que isto não pode ser real, e descobre que é uma ilusão.

O Pavel Chekov recebe uma chamada do Kirk dizendo-lhe que ponha rumo à barreira galáctica e que baixe os escudos, mas é também uma ilusão dos elevados. O Spock adverte ao Kirk e à tripulação que os elevados estão a pôr ilusões na tripulação para distraí-los. A Kongo ataca a Enterprise, e nem a nave romulana pode neutralizar estes ataques. O Kirk decide dividir a nave, separando a secção de engenharia do resto da nave e assim, junto da nave romulana, atacarão a Kongo desde três flancos. O Kirk, o Scott e o Sulu vão ao controlo auxiliar localizado na secção de engenharia, e o Spock toma o comando da ponte. As três naves conseguem derrotar a Kongo, mas a Kongo bloqueia as comunicações entre o Kirk e o Spock para isolá-los, e abrem um canal com o Spock. O Sentek diz que têm o capitão Asmi e o resto da tripulação original da Kongo vivos no seu hangar, a Lana diz que se os quiserem salvar, têm de teletransportar a McKennah a bordo da Kongo. O Spock nega-se, mas a McKennah diz que ela pode convencer a Lana a render-se, e além disso faz com que o Spock tome uma decisão segundo os seus sentimentos. O Spock decide enviar a McKennah à Kongo, e em troca a Lana enviará o capitão Azmi à Enterprise. Mas quando transportaram a McKennah à Kongo, resulta que não há ninguém no hangar, era uma armadilha. A Lana diz ao Spock que se rendam ou a McKennah morrerá, e o Spock ordena desistir. A Kongo entra em dobra e vai-se embora.

Na Kongo, a McKennah tenta convencer a Lana a que se renda, dizendo-lhe que a Federação é uma família e acolhê-los-á. Mas a Lana diz que não se unirão à Federação, substitui-la-ão. Na Enterprise, os engenheiros da nave e os romulanos fazem com que a Enterprise volte a estar unida, e estão a perseguir a Kongo. Enquanto isso, a Charvanek encontra-se na Enterprise. O almirante Nogura diz ao Kirk que a situação é crítica, têm de parar os humanos elevados antes de que cheguem à Terra. Mas nem os klingons nem os romulanos querem ajudá-los. Quando acaba a reunião, o Spock diz ao Kirk que tomou uma decisão emocional, e pede-lhe desculpas. O Kirk diz que ele faria o mesmo se tivesse estado no seu lugar. O McCoy vem com a Smith, porque a Smith quer ajudar. O Kirk acha que não é boa ideia, mas a Smith diz que o seu objectivo na Enterprise é servir ao capitão Kirk, e quer ajudá-lo, já que ela acha que o seu destino é este. Ao final, o Kirk aceita. A Enterprise chega ao lugar onde estão umas naves que os podem ajudar, a Exeter e a Potemkin. Estas são as últimas naves de classe Constitution que ficam em serviço, junto da Enterprise. Mas ao chegarem, encontram que ambas naves se dispararam a uma à outra e estão destruídas, e todos morreram. O Kirk diz que têm de fazer algo para protegerem-se das ilusões dos elevados, e a Uhura tem uma maneira. O Kirk diz à Uhura que o faça. A Smith vai à Kongo para abaixar os escudos, mas vê que se tem de sacrificar para conseguir o seu objectivo. Ela lança raios aos motores, e os escudos caem. Quando o Scott começa a procurar a McKennah, o Tal, enquanto está ao comando da nave da Charvanek, activa a sua arma de plasma e ataca a Kongo. A Charvanek pergunta-lhe o que está a fazer, e o Tal então ataca a Enterprise com a mesma arma…

A Enterprise sofreu um ataque importante, mas a Charvanek envia um código ao computador da nave romulana para desactivar as suas armas. A Lana abre um canal com o Kirk, e diz que lutaram bem. Os reactores da Kongo sobrecarregam-se, e o Kirk ordena a Scott teletransportar a McKennah a bordo da Enterprise, seja como for. Mas a nave explode, e não a podem teletransportar totalmente. O Spock zanga-se, e os átomos da McKennah perdem-se. Mas antes de morrer, a McKennah diz algo ao Spock. Na data estelar 7002.3, a Enterprise finalmente chega à Terra, e o Kirk fala com o almirante Nogura. O almirante Nogura dá os parabéns ao Kirk pelo cumprimento da missão de 5 anos da Enterprise, e diz-lhe que promoverá os oficiais da Enterprise pelos seus serviços, e além disso a Enterprise será remodelada. Também diz que o Conselho da Federação decidiu estabelecer a insígnia da Enterprise como a insígnia oficial da Frota Estelar. A tripulação da Enterprise faz uma reunião com o Kirk, e o Kirk diz que foi promovido a almirante. A tripulação dá-lhe os parabéns, e o Kirk diz que a tripulação da Enterprise continuará as suas viagens pelas estrelas. Quando acaba o discurso, o McCoy diz ao Kirk que ele deixa a Frota Estelar para ver a sua filha, mas dantes farão um jantar. Diz ao Spock que ele também está convidado, e vai-se embora. O Spock diz ao Kirk que teve várias emoções na missão de 5 anos da Enterprise sob o comando do Kirk, mas a última é muito forte. Por isso decidiu voltar a Vulcano para esquecer todas essas emoções. Mas dantes jantará com o Kirk e o McCoy. Ao final do episódio, o Kirk faz uma última visita à ponte da Enterprise, grava a sua última entrada no diário da nave, e termina o episódio e a série.

72px-Brasil.svg.png

Data estelar 6995.1. Kirk e sua tripulação decidem atacar Lana para evitar que ela e Sentek tomem o comando. Quando parece que a tripulação da Enterprise está perdendo, Barbara Smith obtém poderes e neutraliza o ataque dos elevados, ferindo Lana. Sentek e Lana vão para a Kongo, e Kirk ordena a segurança que levem Smith à enfermaria. Kirk, McCoy e Scott têm uma reunião, e Kirk pede que lhe dêem respostas. Depois Kirk diz a McCoy que não dormiu desde há dois dias, mas tem que continuar desperto. McCoy criará uma medicina para fazer com que todos estejam atentos. Kirk diz que morreram muitos oficiais da Enterprise, e não sabe quem mais tem que morrer. A doutora McKennah vai à enfermaria para ver Smith, mas não sabe se ela poderia ferir alguém. Também diz a Smith que Spock acha que quando ela tocou um dos humanos que se elevaram, ela também obteve poderes mas ela não sabia até que se desencadearam ao estar novamente perto da barreira galáctica. Em seu quarto, Spock está estudando a posição da Kongo que não se move, quando a comandante Charvanek vem lhe dizer que venha com ele e que estejam juntos, e quer a reunificação dos vulcanianos e os romulanos. Spock acha que isso não pode ser real, e descobre que é uma ilusão.

Pavel Chekov recebe uma chamada de Kirk lhe dizendo que trace um curso para a barreira galática e que baixe os escudos, mas é também uma ilusão dos elevados. Spock adverte a Kirk e à tripulação que os elevados estão pondo ilusões na tripulação para os distrair. A Kongo ataca a Enterprise, e nem a nave romulana pode neutralizar estes ataques. Kirk decide dividir a nave, separando a seção de engenharia do resto da nave e assim, junto da nave romulana, atacarão a Kongo desde três flancos. Kirk, Scott e Sulu vão ao controle auxiliar localizado na seção de engenharia, e Spock toma o comando da ponte. As três naves conseguem derrotar a Kongo, mas a Kongo bloqueia as comunicações entre Kirk e Spock para os isolar, e abrem um canal com Spock. Sentek diz que têm o capitão Asmi e o resto da tripulação original da Kongo vivos em seu hangar, Lana diz que se quiserem salvá-los, têm que teletransportar McKennah a bordo da Kongo. Spock nega o pedido deles, mas McKennah diz que ela pode convencer Lana a se render, e além disso faz com que Spock tome uma decisão segundo seus sentimentos. Spock decide enviar McKennah à Kongo, e em troca Lana enviará o capitão Azmi à Enterprise. Mas quando transportaram McKennah à Kongo, resulta que não há ninguém no hangar, era uma armadilha. Lana diz a Spock que se rendam ou McKennah morrerá, e Spock ordena desistir. A Kongo entra em dobra e vai embora.

Na Kongo, McKennah tenta convencer Lana que se renda, lhe dizendo que a Federação é uma família e os acolherá. Mas Lana diz que não se unirão à Federação, a substituirão. Na Enterprise, os engenheiros da nave e os romulanos fazem com que a Enterprise volte a estar unida, e estão perseguindo a Kongo. Enquanto isso, Charvanek está na Enterprise. O almirante Nogura diz a Kirk que a situação é crítica, têm que parar os humanos elevados antes de chegarem à Terra. Mas nem os klingons nem os romulanos querem ajudar. Quando acaba a reunião, Spock diz a Kirk que tomou uma decisão emocional, e lhe pede desculpas. Kirk diz que ele faria o mesmo se tivesse estado em seu lugar. McCoy vem com Smith, porque Smith quer ajudar. Kirk acha que não é boa ideia, mas Smith diz que seu objetivo na Enterprise é servir ao capitão Kirk, e quer ajudá-lo, já que ela acha que seu destino é este. Ao final, Kirk aceita. A Enterprise chega ao lugar onde estão umas naves que podem ajudar, a Exeter e a Potemkin. Estas são as últimas naves de classe Constitution que ficam em serviço, junto da Enterprise. Mas ao chegarem, encontram que ambas naves se dispararam a uma à outra e estão destruídas, e todos morreram. Kirk diz que têm que fazer algo para se protegerem das ilusões dos elevados, e Uhura tem um jeito. Kirk diz a Uhura que o faça. Smith vai à Kongo para abaixar os escudos, mas vê que tem que se sacrificar para conseguir seu objetivo. Ela lança raios aos motores, e os escudos caem. Quando Scott começa a buscar McKennah, Tal, enquanto está ao comando da nave de Charvanek, ativa sua arma de plasma e ataca a Kongo. Charvanek pergunta a ele o que está fazendo, e Tal então ataca a Enterprise com a mesma arma…

A Enterprise sofreu um ataque importante, mas Charvanek envia um código ao computador da nave romulana para desativar suas armas. Lana abre um canal com Kirk, e diz que lutaram bem. Os reatores da Kongo se sobrecarregam, e Kirk ordena a Scott teletransportar McKennah a bordo da Enterprise, seja como for. Mas a nave explode, e não podem teletransportar ela totalmente. Spock fica irritado, e os átomos de McKennah se perdem. Mas antes de morrer, McKennah diz algo a Spock. Na data estelar 7002.3, a Enterprise finalmente chega à Terra, e Kirk fala com o almirante Nogura. O almirante Nogura parabeniza Kirk pelo cumprimento da missão de 5 anos da Enterprise, e diz que promoverá os oficiais da Enterprise por seus serviços, e além disso a Enterprise será remodelada. Também diz que o Conselho da Federação decidiu estabelecer a insígnia da Enterprise como a insígnia oficial da Frota Estelar. A tripulação da Enterprise faz uma reunião com Kirk, e Kirk diz que foi promovido a almirante. A tripulação parabeniza ele, e Kirk diz que a tripulação da Enterprise continuará suas viagens pelas estrelas. Quando acaba o discurso, McCoy diz a Kirk que ele deixa a Frota Estelar para ver sua filha, mas dantes farão um jantar. Diz a Spock que ele também está convidado, e vai embora. Spock diz a Kirk que teve várias emoções na missão de 5 anos da Enterprise sob o comando de Kirk, mas a última é muito forte. Por isso decidiu voltar para Vulcano para esquecer todas essas emoções. Mas dantes jantará com Kirk e McCoy. Ao final do episódio, Kirk faz uma última visita à ponte da Enterprise, grava sua última entrada no diário da nave, e termina o episódio e a série.

Elenco Editar

Principais Editar

Convidados Editar

  • Steven Dengler como William Drake
  • Kipleigh Brown como Barbara Smith
  • Cat Roberts como Elizabeth Palmer
  • Nicola Bryant como Lana
  • Cas Anvar como Sentek
  • Amy Rydell como a Comandante romulana Charvanek
  • Mark Meer como Tal
  • April Hebert como a Contra-almirante andoriana Thesp
  • Andy Holt como o Almirante Nogura

Baixadas Editar

Vídeo Editar

Star Trek Continues - Episódio 10 e 11 - Audaciosamente indo (To Boldly Go) - em português

Star Trek Continues - Episódio 10 e 11 - Audaciosamente indo (To Boldly Go) - em português

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-NC salvo indicação em contrário.